Quais são os impostos que as lojas virtuais devem pagar?

Engana-se quem pensa que as lojas virtuais estão isentas do pagamento de impostos. Para manter o seu e-commerce ativo, os empreendedores precisam pagar as taxas em dia e ficar atentos quanto à fiscalização e possíveis multas.

Os tipos de impostos variam conforme a natureza do e-commerce. Assim como as físicas, as lojas que são exclusivamente virtuais, que compram produtos para revende-los na Internet, precisam pagar o ICMS (imposto estadual que incide sobre a circulação de mercadorias), PIS e COFINS (sobre o faturamento) e IRPJ e CSLL (sobre o resultado operacional). Se a loja for apenas mais um canal de vendas da loja física, além de todos os impostos citados acima, o empreendedor também deve pagar o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

E se eu não tiver lucro suficiente para pagar os impostos?

Não se assuste com todos os impostos que você leu até aqui. Sabendo da dificuldade que pequenos empreendedores encontrariam na hora de pagar os impostos, o governo mantém alguns programas de taxas reduzidas para que todos tenham a oportunidade de empreender. Eles também são válidos para quem deseja abrir uma loja virtual.

Microempreendedor individual (MEI)

O MEI contempla empreendedores que faturam até 60 mil reais por ano. É voltado para pessoas que trabalham por conta própria e querem se legalizar como pequenos empresários. O microempreendedor fica isento de pagar os tributos federais e paga apenas um valor fixo mensal, referente à Previdência Social, ICMS e ISS. O programa também dá acesso à benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, etc.

O valor da contribuição varia de acordo com a natureza do negócio. Também é necessário secar se o ramo de atividade da empresa se enquadra dentro das regras do programa. Os interessados podem ver todas as regras no Portal do Empreendedor do Governo.

Simples Nacional

Já o imposto Simples Nacional, é voltado para empresas um pouco maiores, que faturam até 3,6 milhões por ano. Nesse sistema, o empreendedor também paga uma taxa fixa, calculada de acordo com o valor do faturamento. Os impostos contemplados dentro desse valor são: IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a contribuição destinada à Previdência.

Entretanto, existem algumas restrições. Empresas de gestão, consultoria, cessão de mão-de-obra e agências de publicidade não podem optar pelo Programa.

Se você tem dúvidas, consulte um contador antes de abrir o seu negócio. Um profissional qualificado irá te ajudar a definir qual a melhor solução para a sua empresa e a entender a tributação que será aplicada.

 

Para saber mais sobre lojas virtuais, leia os nossos outros textos sobre como aumentar o lucro do seu e-commerce, evitar fraudes e o que é preciso para abrir um e-commerce. Até mais!

Plataformas para e-commerce: como escolher a sua?

Durante o planejamento de uma loja virtual, um dos pontos mais importantes é a escolha da plataforma. É ela que viabiliza a construção do e-commerce, tanto a parte que é visível para o consumidor (chamada de Front End), como a parte administrativa (Back End). Existem diversas plataformas para e-commerce disponíveis, com características diferentes para cada tipo de loja e orçamento.

A dúvida começa justamente no momento da escolha. Todo cuidado é pouco, já que escolher a plataforma errada e depois ter que fazer uma migração, é uma operação muito trabalhosa.

O blog da Lealmente trouxe algumas dicas e orientações para você fazer a escolha certa e evitar problemas no futuro.

O que você deve avaliar antes de escolher a plataforma:

  • Dê preferência para desenvolvedores que possuem tradição e reconhecimento no mercado de plataformas;
  • Leia resenhas e comentários dos atuais usuários da plataforma escolhida;
  • Atente-se quanto à expansão dos recursos. Algumas plataformas são limitadas;
  • Avalie se o desempenho do provedor de hospedagem é satisfatório;
  • Preste atenção na política de atualização de sistema;

Trabalhar com empresas sólidas no mercado evita que você seja prejudicado pela inexperiência da equipe ou outros problemas. Escolher uma plataforma tradicional é uma garantia a mais de que você não terá dores de cabeça no futuro.

O que a plataforma deve oferecer:

  • Estrutura e recursos (URLs amigáveis, meta tags únicas, redirect 301) para a implementação de um bom trabalho de SEO;
  • Integração com o Google Analytics e suas diversas funções específicas para e-commerce;
  • Diversidade de métodos de pagamento;
  • Relatórios gerenciais oferecidos pelo sistema e com possibilidade de customização;
  • Sistema responsivo que se adapta em diversos dispositivos móveis;
  • Integração com mídias sociais;
  • Segurança para transações (SSL e sistemas antifraude);

As três maiores plataformas para e-commerce:

  1. Woo Comerce

O Woo Comerce é utilizado por mais de 100.000 domínios no país, representando um quarto da fatia do e-commerce brasileiro. A plataforma é conhecida pela facilidade de uso dentro do WordPress e flexibilidade de operações. É possível cadastrar qualquer tipo de produto, conduzir campanhas de marketing, cupons de desconto, além de facilitar a cobrança de frete e gerar relatórios sobre cada processo realizado na ferramenta.

  1. Loja Integrada

A Loja Integrada é uma das poucas plataformas para e-commerce que foram criadas no Brasil. Além de permitir que você crie a sua loja virtual, ela conta com tutoriais e um blog próprio para que o usuário possa acompanhar as atualizações da plataforma. Ela também gera relatórios de vendas e crescimento do negócio diretamente no site e se integra com o Facebook e Google Analytics.

  1. Prestashop

A Prestashop é uma plataforma que está em crescimento. Ela conta com inteligência artificial aplicada a ferramenta, que analisa o comportamento de compra de um cliente, sugerindo itens relacionados para aumentar o valor da venda. É considerada uma das plataformas para e-commerce mais completas do mercado.

 

Lembre-se também de escolher uma plataforma que não só atenda as necessidades atuais, mais que permita com que o seu e-commerce cresça e expanda suas atividades.

Não deixe de ler também o nosso texto sobre como aumentar o lucro da sua loja virtual. Até a próxima!

 

Dicas para aumentar o lucro da sua loja virtual

Sabemos que obter lucro quando se começa um e-commerce do zero não é fácil e requer tempo. Se você pensa que basta abrir a sua loja virtual para começar a enriquecer, saiba que não é bem assim. É um trabalho com várias etapas e investimentos, que com dedicação e estratégias bem definidas, pode-se alcançar a meta desejada.

Mas como aumentar o lucro da loja virtual? Existe uma receita certa para isso? Nós trouxemos algumas dicas para te ajudar a traçar seus planos de crescimento e prosperar com o e-commerce.

Marketing de conteúdo

Coloque-se no lugar do cliente: você está procurando um produto X na Internet. Você se depara com uma loja, que além de vender os produtos, possui um blog e postagens em mídias sociais com conteúdos relevantes ao assunto e dicas de utilização. Ao continuar com a procura, você se depara com outra loja que não possui as mesmas informações. Em quem você confiaria mais?

O marketing de conteúdo, além de ajudar a ranquear o site em boas posições nos resultados de buscas orgânicas, faz com que a sua rede de clientes cresça através da credibilidade construída por conteúdos relevantes e valiosos. O público-alvo começa a ter uma percepção positiva da marca, gerando mais negócios.

E-mail marketing

Se você já tem e-mails cadastrados em sua base, comece a enviar newsletter de promoções e novidades. Mas cuidado para não exagerar na frequência, assim você evita cair direto na caixa de spam do destinatário ou se tornar inconveniente para os seus clientes.

Fique de olho na taxa de abertura e cliques de cada e-mail. Você poderá medir quais formatos e assuntos estão dando certo e quais precisam ser repensados.

Adapte-se para mobile

Grande parte dos usuários da Internet acessam as mídias sociais e lojas virtuais pelo celular. Se o cliente sentir dificuldade em realizar a compra em sua loja virtual porque ela não se adapta para mobile, ele certamente desistirá da compra. Certifique-se de ter um site responsivo, que pode ser aberto em qualquer dispositivo e tenha uma boa visualização.

Ofereça várias opções de pagamento e segurança ao consumidor

Quem nunca chegou a etapa final de uma compra e desistiu pelo site não oferecer a opção de pagamento necessária ou não transmitir segurança?

Além do tradicional cartão de crédito, procure ampliar as formas de pagamento com as opções de boleto bancário, débito em conta ou carteira virtual (Paypal e Mercado Pago, por exemplo). Dessa forma, o consumidor se sente mais à vontade na hora de pagar e evita que ele abandone o carrinho por falta de opção.

Atente-se também em ter os selos de segurança (SSL, Site Blindado, etc) nas páginas de compra.

 

Se você quer mais dicas para aumentar o lucro da loja virtual, não deixe de ler também os nossos textos sobre como fazer um e-mail marketing de sucesso e como montar um e-commerce. E claro, se você precisar de ajuda na gestão da sua loja ou nas mídias sociais, entre em contato conosco 😉

Como evitar fraudes no e-commerce

Imagine a seguinte situação: você construiu o e-commerce perfeito, com um design incrível, investiu em marketing e em fornecedores com produtos de qualidade. Mas, em uma das compras de alto valor feitas no seu site, você percebe que aquele pedido, na verdade, é uma fraude. E agora?

Essa é uma das maiores preocupações dos gestores de e-commerce. Com o crescimento das vendas online no Brasil, o comércio eletrônico também ficou mais exposto a ação de fraudadores.

De acordo com uma pesquisa feita pela Konduto, o percentual de tentativas de fraude chega a 3,83%. Diante desse número, as empresas têm optado por aderirem algumas soluções para evitarem fraudes no e-commerce. Veja algumas delas abaixo:

Certificação Digital

Por meio da criptografia, a certificação digital garante a autenticidade do site, privacidade e integridade dos dados dos usuários, evitando que possíveis fraudadores tenham acesso à essas informações.

A identificação de uma loja que possui a certificação digital é feita pelo HTTPS://, com o cadeado exibido na barra de navegação da página ou endereço pode aparecer em cores diferentes. Certifique-se de adotar essa medida antes de começar a vender seus produtos.

Intermediadores de transação

Terceirizar as transações do comércio eletrônico ajudam a combater às fraudes. A maior parte dos gateways já agregam as ferramentas de gestão de risco e facilitam as transferências entre o e-commerce e as financeiras de crédito.

Capacitação de funcionários

De nada vai adiantar um sistema de segurança excelente, se os funcionários da empresa não estão prontos para lidar com as informações sigilosas dos clientes. Capacite os colaboradores para que possam analisar e processar os dados com cautela e eficiência.

Soluções antifraude

Existem no mercado diversas ferramentas com serviços especializados em analisar o risco das transações realizadas no e-commerce, aumentando as chances de identificar transações fraudulentas. As soluções analisam o endereço do IP, endereço de entrega, produtos que estão sendo comprados, histórico de compras, domínio de e-mail, entre outras informações.

Há também empresas especializadas em realizar esse tipo de serviço. As empresas com soluções antifraudes possuem pacotes que incluem análises automáticas, manuais e fazem até ligações para confirmar as transações com os clientes. Analise qual a melhor opção para a sua empresa e também para o seu bolso, já que esses serviços representam uma conta a mais no orçamento.

 

Apesar de toda a tecnologia existente, os sistemas podem cometer alguns erros. 1- Mesmo com a análise, aprovar uma transação fraudulenta ou 2 – Recusar uma transação boa, o que também é prejudicial para o negócio. Você deve estar ciente para não sair perdendo, afinal, o objetivo é garantir a segurança do seu negócio.

Essas são alguns dos recursos disponíveis para evitar a fraude no e-commerce. Esse é um ponto que também deve ser incluído no planejamento da sua loja, para evitar que você perca dinheiro e saia no prejuízo.

Aproveite para ler também o nosso texto sobre o que é preciso para abrir um e-commerce e erros comuns em lojas virtuais que você não deve cometer. E até breve!

Como comprar e registrar um domínio na Internet

Muitos passos precisam ser dados antes de você ter seu próprio site institucional ou e-commerce. E um deles, é comprar e registrar um domínio na Internet. Sem o domínio, os leitores ou clientes nunca chegarão até você. Pode parecer uma tarefa difícil para quem nunca teve uma página na Internet, mas é mais fácil do que você pensa.

Para passar uma maior credibilidade para os usuários, você precisa ter um domínio “sério”, como o .com.br. Mas como consegui-lo? Quais são os valores? Nós vamos tirar essas dúvidas para você! Acompanhe:

Verifique a disponibilidade

Acesse o site Registro.br e verifique se o domínio que você deseja usar já não está sendo utilizado por outra pessoa. Na página inicial, você já pode fazer essa pesquisa e visualizar o valor da taxa do registro.

Caso o nome que você queria utilizar não esteja disponível, o site te dará algumas sugestões com o mesmo endereço, mas com finais diferentes.

Cadastro

Agora que você já escolheu o seu endereço, é necessário fazer um cadastro no site. Você terá que preencher alguns dados pessoais como nome, e-mail, endereço, telefone e criar uma senha de acesso. Depois dessa etapa, você estará pronto para seguir com a etapa do pagamento.

Pagamento e registro

Como nada é de graça, você terá que pagar uma taxa anual para ter o seu domínio. Consulte os valores no Registro.br. Alguns dados como CPF (pessoa física) ou CNPJ (pessoa jurídica) serão pedidos, assim com o método de pagamento, que pode ser feito com cartão de crédito ou boleto bancário.

Também será necessário informar o DNS do servidor que o seu site se encontra, para que o direcionamento do tráfego para o endereço registrado seja realizado.

O Registro.br também oferece redirecionadores de e-mail. Ou seja, você poderá ter um endereço de e-mail profissional e próprio para o seu site (exemplo: petshopcão@petshop.com.br)

Assim que o pagamento for confirmado, o Registro.br irá realizar o redirecionamento de endereço do seu site para o registro que foi comprado.

Dicas para ter um domínio perfeito

  • Tenha um domínio de personalidade e marcante. Domínios genéricos não se parecem com marcas e podem até fazer com que o seu site perca um pouco de credibilidade.
  • As pessoas precisam saber pronunciar e escrever o seu domínio. Não adianta colocar um nome difícil, as pessoas irão esquecer facilmente ou não conseguirão encontrar o seu site.
  • Não tenha um domínio muito longo. Escolha um endereço curto e com poucos caracteres.
  • Escolha uma extensão que faça sentido para o seu negócio. Se o seu site for uma organização fundamental, faz sentido ele ser registrado com o final .org.
  • Ter a palavra-chave do seu site no seu domínio ajuda no posicionamento e identificação do público e também para as técnicas de SEO.

Aproveite para ler também o nosso texto sobre o que é preciso para abrir um e-commerce e o que você deve planejar antes de abrir sua loja virtual.

Agora que você já aprendeu a registrar um domínio na Internet, é hora de começar a planejar o seu site. Boa sorte!

abrir um e-commerce

O que é preciso para abrir um e-commerce

Muitas pessoas possuem o desejo de abrir um e-commerce, mas não sabem por onde começar. São tantos detalhes a serem resolvidos: qual plataforma será utilizada? Qual é o meu público-alvo? Quais serão os fornecedores? Como serão feitas as entregas? Essas são algumas das principais dúvidas que rondam a cabeça de que é novato no mundo dos negócios.

Se você pensa em ter uma loja virtual, nós listamos alguns pontos importantes que você deve saber antes de começar a se planejar:

Qual o seu objetivo ao abrir um e-commerce?

Ao iniciar o projeto, você deve ter em mente o seu objetivo com o seu novo negócio. Conquistar liberdade e independência financeira? Conseguir um dinheiro extra para complementar sua renda? Criar uma marca multimilionária? Dependendo das suas metas, o caminho a ser traçado será diferente. Esse será o seu ponto de partida.

Trace um mini planejamento

No seu mini planejamento, três perguntas devem ser respondidas: o que você vai vender? Para quem você vai vender? De quem você vai comprar?

As três questões são focadas nos três principais pilares de um e-commerce: produtos, consumidores e fornecedores. Eles precisam ser estudados a fundo para que você possa montar um e-commerce de sucesso.

Nicho de mercado

É hora de decidir a categoria de produtos que você vai vender. Se você gosta de moda, por que não apostar em uma loja de roupas e acessórios. Se você possui afinidade com animais, que tal um pet shop online?

Se você ainda não decidiu em qual nicho de mercado quer investir, você pode pesquisar relatórios como o Webshoppers, que é divulgado pelo Ebit. Lá você encontra informações sobre quais mercados estão crescendo e são os mais promissores, e outras informações sobre os e-commerces brasileiros.

Consumidores

Você precisa estudar os seus potenciais consumidores. Do que gostam? Qual o melhor jeito de atingi-los? A qual classe social eles pertencem?

Querer atingir um público muito amplo e sem delimitações é um dos motivos que fazem com que muitas lojas virtuais fechem as portas cedo.

Fornecedores

Separe um tempo do seu planejamento para buscar por fornecedores. Realize uma ampla pesquisa, organize planilhas, entre em contato e tente negociar preços. Converse de igual para igual com o fornecedor e informe-o sobre os objetivos da sua loja. Os fornecedores gostam quando são vistos como parceiros da loja.

Depois que esses três pilares já foram definidos, é hora de escolher a plataforma, layout do site e formas de entrega. Nós já postamos um texto em nosso blog sobre o que você deve planejar antes de abrir sua loja virtual e erros comuns em lojas virtuais que você não deve cometer.

Fique ligado no nosso blog para mais conteúdos referentes a e-commerce e marketing digital. Aproveite para curtir a nossa página no Facebook e nos seguir no Instagram.

Até a próxima!

erros comuns em lojas virtuais

Erros comuns em lojas virtuais que você não deve cometer

Administrar uma loja virtual não é tão fácil quanto parece. Apesar dos benefícios que o e-commerce apresenta, como flexibilidade e redução de custos, a falta de conhecimento em empreendimentos pode levar a erros comuns em lojas virtuais que comprometem o andamento do seu negócio.

Além de escolher uma boa plataforma, ter um planejamento financeiro e investir em marketing digital, há diversos outros pontos em que você deve prestar atenção para conseguir manter o a sua loja no ar e obter o lucro desejado.

Para que você não caia em nenhum desses equívocos, nós listamos alguns erros comuns em lojas virtuais que você não deve cometer.

Layout desorganizado

Um site poluído visualmente desencoraja os clientes a prosseguirem com a compra. Aposte em um layout limpo e organizado, que permitam que o cliente encontre com facilidade o que ele procura. Coloque-se no lugar do consumidor: você compraria em um site totalmente desorganizado e pobre em informações? Provavelmente não.

Aposte em um design interessante, com cores chamativas, que prendam a atenção do usuário logo no primeiro acesso.

Domínio mal construído

Dê preferência para um domínio curto e fácil. Não adianta construir uma loja em que as pessoas não saberão como escrever ou não lembrarão do nome e do domínio para poderem acessá-la. O domínio do seu site pode influenciar muito na quantidade de acessos que ele recebe. Além disso, as buscas do Google é um dos caminhos para o seu site, e isso pode ser prejudicado se o domínio não for bem escolhido.

Ignorar a avaliação dos usuários

O e-commerce é construído para os seus clientes, certo? Então, são eles que devem dizer se a experiência foi satisfatória ou não. Procure sempre ouvir o que os consumidores têm a dizer e proponha mudanças se necessário.

Convide uma pessoa que ainda não conhece o seu site para testá-lo. Observe se ela encontra alguma dificuldade em terminar o checkout, em procurar os produtos ou de encontrar o atendimento ao cliente.

Descrição pobre dos produtos

Um dos fatores decisivos para que o cliente feche ou não a compra é a descrição do produto. Nenhum cliente irá comprar um produto (ainda mais se ele for de alto valor) se as devidas informações não estiverem descritas no site. Escolha boas fotos dos produtos, capriche na apresentação e nas características, sanando todas as possíveis dúvidas.

Vídeos de demonstração ou imagens em 360º também costumam chamar a atenção dos consumidores.

Atendimento insatisfatório

Ter um bom atendimento ao cliente não é um diferencial, mas sim uma exigência. É o mínimo para que a sua empresa possa satisfazer os consumidores e crescer. O bom atendimento faz parte do processo de fidelização dos clientes. Ele se sentirá valorizado e confiante para voltar a comprar na loja mais vezes.

 

Leia também nosso texto sobre como aumentar a conversão no e-commerce

O que você deve planejar antes de abrir sua loja virtual

Planejar é o passo inicial para qualquer projeto, inclusive no e-commerce. As lojas virtuais estão ficando cada vez mais profissionais e requerem muita pesquisa e planejamento antes de serem abertas. Muitos e-commerces acabam fechando após pouco tempo de funcionamento, devido a falta de preparo de seus administradores.

Apesar de ser virtual, as lojas precisam planejar a logística de entregas, selecionar os fornecedores, métodos de pagamento e as estratégias de marketing para que o empreendimento possa crescer e trazer o lucro desejado.

Se você pensa em abrir a sua própria loja virtual, nós separamos alguns tópicos importantes para você se atentar na hora de iniciar o seu planning. Olha só:

Investimento

O primeiro passo é definir o valor para o investimento. Quanto você tem disponível para investir inicialmente? E mensalmente? Coloque na ponta do lápis todos os gastos mensais e quanto você precisará lucrar para cobrir os gastos. No começo, será difícil bater metas de lucro, já que a sua loja estará começando do zero. Será preciso investir um pouco mais de dinheiro do seu bolso. Portanto, é muito importante fazer todas as contas e planejar os investimentos dos primeiros meses para não correr o risco de ficar sem capital nenhum.

Local

Se a sua loja é virtual, ela não precisa estar alocada em um lugar nobre ou de muita visibilidade. O intuito é gastar o menos possível com aluguel. Se você dispõe de um espaço próprio em casa, melhor ainda. Se não, você pode optar por uma sala em um bairro mais barato. Afinal, a sala servirá apenas como depósito para as mercadorias e para a realização do trabalho diário de manutenção da loja.

Registro

Para começar um e-commerce, é necessário ter empresa aberta, passando por todo o processo de registro de empresas, que varia entre os Estados do Brasil. Com o CNPJ, você poderá emitir notas fiscais, recolher os impostos e cumprir todas as obrigações fiscais, evitando ter problemas com a sua empresa. Não se esqueça de colocar a razão social, CNPJ, endereço, telefone e meios de atendimento na homepage do seu site.

Fornecedores e entrega

Enquanto você estiver nos primeiros meses de venda, negocie preços com os seus fornecedores para pequenas quantidades de produtos e entregas. Se quiser economizar, você mesmo pode ir retirar os produtos para economizar no frete.

Para fazer a entrega aos clientes, escolha o seu parceiro logístico. Tirando os produtos de grande peso e dimensão, na maior parte das vezes, serão os Correios, devido a sua abrangência geográfica e preço. Você mesmo pode levar os produtos até uma agência dos Correios ou combinar a retirada na empresa. Analise o que é mais vantajoso e econômico para você.

Marketing

Os consumidores não virão até você se a sua loja não for divulgada. O marketing é essencial para empresas que estão começando em qualquer ramo. Se possível, procure uma agência de marketing para realizar esse serviço. Eles saberão melhor do que ninguém a como alavancar a sua empresa com estratégias de marketing eficientes.

 

Aproveite para ler também dicas para elaborar as descrições perfeitas dos produtos do seu e-commerce. Até a próxima!

Dicas para elaborar as descrições perfeitas dos produtos do seu e-commerce

As descrições dos produtos em um e-commerce são muito importantes para os resultados das vendas. Elas podem ser a diferença entre o cliente fechar uma compra ou não, estabelecem a autoridade da marca, ajudam os usuários a conhecer melhor o produto antes de compra-lo e otimiza as estratégias de SEO.

Uma boa descrição de produto atrai visitantes e pode transformá-los em clientes. Ao definir suas técnicas de SEO, não esqueça de incluir as descrições bem elaboradas, com palavras-chaves e persuasivas, de forma que “seduzam” os visitantes da página.

Confira algumas dicas para montar a descrição de produto perfeita para a sua loja virtual:

Adote palavras-chaves

Colocar palavras-chaves dentro das descrições dos produtos é uma das táticas de SEO para melhor ranquear o seu site nas ferramentas de busca orgânica. Essa técnica fará com que mais pessoas conheçam a sua marca, e consequentemente, o número de vendas irá subir. Elas devem aparecer naturalmente no título e na descrição, junto das outras características do produto. Para pesquisar as palavras com o maior número de pesquisas dentro do seu ramo de atuação, o Google Keyword Planner é ideal. Além dos termos com alto volume de pesquisa, é recomendado utilizar também os temos mais longos, por serem mais fáceis de ranquear.

Aproxime-se do público

Descrições genéricas costumam falhar em conquistar o público, já que elas não se aproximam da realidade do cliente e não oferecem uma solução. É preciso compreendê-los e falar uma linguagem próxima do seu dia a dia. Aproveite as descrições dos produtos para criar um texto envolvente, que tenha um tom de conversa e que se conecte com as emoções, para estimula-lo a concluir a compra.

Quer um exemplo? Imagine uma cafeteira. Pense em vende-la não somente como uma máquina de fazer café, mas em algo que trará um prazer enorme para o consumidor. Frases como “nada como um café quentinho antes de começar o dia” ou “aproveite o momento de paz antes de começar o dia com um café” são próximas do cotidiano e ajudam a criar uma conexão com o produto.

Liste os atributos e benefícios

O cliente precisa saber quais são os benefícios de comprar aquele produto, afinal, ele está procurando por uma solução. Os atributos e benefícios podem ficar separados da descrição principal, organizados em forma de lista.

Destaques os principais benefícios do produto para o cliente. Exemplo: “alta durabilidade – você não precisará se preocupar em adquirir outro por anos” ou “você não irá ficar sem memória no celular”. Já em atributos, destaque características como “acompanha cartão de memória de 128GB” ou “costura altamente reforçada”.

Use palavras sensoriais

Ao escrever a descrição, os atributos e benefícios, utilize palavras sensoriais para mexer com as emoções dos usuários. Eles ajudam os clientes a imaginarem como será a experiência de adquirir o seu produto. É só imaginar: o que chama mais atenção? Bolo de chocolate ou delicioso bolo de chocolate com cobertura cremosa que derrete na boca? Acho que você já tem a sua resposta. 😉

 

Leia mais dicas para aumentar a conversão no e-commerce neste outro post. E até a próxima!

aumentar a conversão no e-commerce

Dicas para aumentar a conversão no e-commerce

De nada adianta um grande número de visitas em sua loja virtual se a taxa de conversão de vendas continua pequena, não é mesmo? Olhando pelo lado positivo, ter um bom tráfego é essencial para que o seu e-commerce obtenha o sucesso desejado no futuro.

Agora, vem a parte mais difícil: fazer com o que os visitantes concluam a compra no site. O conteúdo precisa ser chamativo, objetivo e “seduzir” o consumidor. Quando a venda é feita, o processo é chamado de conversão. O simples visitante passa a ser cliente da sua loja.

Aumentar a conversão no e-commerce é um trabalho constante e existem diversas maneiras de subir essa taxa do seu site. A Lealmente preparou esse post especialmente para você que está com dificuldades de conseguir efetivar clientes.

Utilize imagens de boa qualidade 

As imagens são o que chamam atenção de qualquer pessoa em qualquer plataforma, seja no site ou em mídias sociais. Fazem com o que cliente sinta mais confiança na loja e no produto e estimula o desejo de adquiri-lo.

As fotos precisam ser de ótima qualidade para que o cliente possa ter a visão do todo. Opções de zoom, visão 360º ou fotos de todos os ângulos bem iluminadas e grandes são as mais adequadas.

Deixe avaliações e comentários de outros clientes em evidência

Antes de adquirir qualquer produto ou serviço pela internet, a maior parte das pessoas consultaram as avaliações de outros compradores. Isso é ainda mais importante para pequenas empresas que acabaram de começar e ainda não possuem grande popularidade.

Mostrar os comentários – positivos e negativos – transmitem segurança e transparência aos futuros clientes. Além disso, a opinião alheia é uma grande influenciadora na hora de fechar ou não a compra.

Crie um blog para aumentar a conversão no e-commerce

Uma das estratégias mais poderosas do marketing digital é a criação de blogs.

Com o blog, você pode postar conteúdos relevantes referentes ao seu ramo de negócio e chamar a atenção de um novo público que antes desconhecia a loja. Além disso, o blog é essencial para a otimização das técnicas de SEO, fortalecimento da marca, poder de influência sobre potenciais clientes e maior engajamento entre o público-alvo e o e-commerce.

Tenha um site responsivo

Um site responsivo é aquele que se adapta em qualquer dispositivo móvel. Hoje em dia, a maior parte das pessoas acessam a internet por meio de smartphones e tablets.

Se o seu site não for responsivo e o visitante sentir dificuldade de navegar nele por meio do dispositivo móvel, ele provavelmente irá desistir da compra e procurar um concorrente que ofereça o site nesse formato.

Um site responsivo é essencial para aumentar a conversão do e-commerce.

Tenha um processo de checkout simples

O visitante pode até colocar os itens desejados no carrinho, mas se o processo de finalização da compra for complicado, ele pode desistir.

Apresente as informações de forma clara e mostre o progresso do cadastro, assim o cliente se sente incentivado a continuar.

 

Leia também os nossos textos sobre frete grátis no e-commerce e como montar um e-commerce de sucesso. Até mais!